Falando do clipe: Rubel – “Colégio”

“Colégio” é a música que abre Casas, o novo álbum do Rubel, um jovem carioca que ainda precisa ser descoberto pelo grande público. Eu o conheci este ano, quando Casas foi lançado e ao mesmo tempo resenhado pelo Gabriel Sacramento no Escuta Essa Review e me indicado pelo Guilherme Hazin, que estudou no mesmo colégio de Rubel e participou de dois podcasts do EER. Casas nunca mais saiu do meu Spotify e “Colégio” é a minha faixa preferida.

É extremamente poética. Uma bossa para um artista que faz rap (mas não só). É delicada, carregada de sentimento. E ainda por cima é completada por “Cachorro”, a faixa seguinte, que não ganhou clipe, mas está na minha playlist para o Moby, meu cão.

O clipe de “Colégio” é uma maravilha. O banheiro da escola vira muito mais que um espaço de confissões. É na privacidade sufocante dele que acontece o amor que não pode estar no pátio, o medo e a insegurança que não convém deixar às claras, a ansiedade, a raiva, a felicidade, a cola da prova, os entorpecentes, e por aí vai. Um pequeno universo de refúgio para o que não aparece quando esses mesmos alunos estão em sala de aula.

Essa conotação de espaço íntimo e/ou sufocante do banheiro da escola é reforçada pelo formato em que Rubel decidiu filmar a produção. Ele ignorou o widescreen e optou pela proporção 4:3, deixando as cenas mais estreitas.

Como o próprio Rubel diz: “Esse clipe partiu de uma pesquisa que fizemos com mais de 100 adolescentes de escolas públicas e privadas, de todo o Brasil. Em quase todas as conversas surgiam a mesma resposta: eles e elas queriam ser vistos e ouvidos. Eles e elas não sabiam com quem conversar. Nem com os pais, nem com professores e nem mesmo com outros alunos. Esses assuntos precisam sair do banheiro.”

A mesma sensibilidade que ouvimos na música está no clipe, mesmo que o vídeo ilustre situações preocupantes, ele é capaz de evocar a nossa empatia por cada um desses estudantes.